This page contains a Flash digital edition of a book.
Transcricao
-
-
Santiago de Múrcia:
Los Impossibles
Cristina Azuma
Cristina Azuma
é violonista e já se
apresentou por países
Peça adaptada para o violão a partir da sua versão original para guitarra barroca
da América do Norte,
América do Sul, Europa
L
os Impossibles é um tema do compositor e guitar- Resolvi transcrever essa peça, mas não literalmente,
e Ásia. Primeira
rista espanhol Santiago de Múrcia (1682–1740) pois soaria pobre no violão. Ela é construída de variações
graduada em violão
transcrito para violão a partir de seu original: um sobre a base harmônica de uma romanesca, como a co-
pela USP (Universidade
manuscrito de tablaturas para guitarra barroca, de 1732. nhecida Guardame las Vacas, do espanhol Luys de Nar-
de São Paulo), é
Apesar de ter trabalhado na Espanha, este manuscrito foi vaez (1500–1555), que dura 16 compassos. Mantive a doutora em musicologia
encontrado no México, onde possivelmente o músico vi- notação original de 3/4, incorporei campanelas e pus pela Universidade
veu. Seu título ilustra perfeitamente o sonho e a saga que os rasgueados ao fi nal. No manuscrito original, Múrcia
Paris-Sorbonne, com
representou a ‘descoberta’ da América. Antes de os euro- indicou somente os acordes e a direção dos rasgueados
especialidade em música
peus desembarcarem por aqui, não existiam instrumentos – | –, mas não como tocá-los. Como o ritmo e
barroca. Possui cinco
de cordas – eles vieram diretamente da Europa, com toda as direção dos rasgueados coincidem com os da zamba
CDs solo gravados,
uma bagagem musical os acompanhando. E essa guitarra argentina de hoje, adotei na mão direita o mesmo polegar
entre eles Santiago de
espanhola, trazida pelos europeus, desbancou o alaúde e a a cada dois tempos, o que me parece sutil e natural e dá
Múrcia – A Portrait
(Quadroframe), seu
vihuela em popularidade nas cortes européias a partir do a possibilidade de fi car entre o 3/2 e o 6/4. Isso é apenas
mais recente lançamento.
século XVII, e foi um dos predecessores de nossos instru- uma sugestão, pois outros tipos de rasgueados podem ser
Atualmente, dirige uma
mentos de cordas dedilhadas, por exemplo, a viola caipira. usados, de acordo com o gosto do intérprete. Quanto às
coleção de partituras
A guitarra barroca é geralmente afi nada em Mi, Si, ornamentações, indiquei-as como no original, com as no-
para violão para as
Sol, Ré e Lá, como o violão, mas tem cinco cordas duplas tas entre parênteses sugerindo a nota ornamental a tocar.
Edições Henry Lemoine,
e uma extensão muito menor – sua corda mais grave é o Porém, a sua realização também é pessoal.
na França, e tem suas
Ré, a quarta corda do violão, e as quintas cordas voltam Essa peça é um dos exemplos utilizados por alguns
composições editadas pela
a ser agudas. Os compositores para esse instrumento não musicólogos que afi rmam que a tradição barroca euro-
Guitar Solo Publications
têm escrúpulos em fazerem saltos de oitavas entre as frases péia (instrumentos e repertório), que se perdeu comple- (GSP), nos Estados
para continuarem as idéias musicais. Por exemplo, uma tamente na Europa durante a transição ao período clás- Unidos. Site: http://
frase descendente, chegando no Ré, retoma oitava acima sico, teria sido preservada na tradição popular da música
cristina.azuma.free.fr/.
e continua a descer, o que, transcrito no violão, soaria latino-americana!
mal. Assim, como gosto de afi rmar, a guitarra barroca é Los Impossibles faz parte do meu CD Santiago de
um instrumento de realização musical imperfeita, mas Múrcia – A Portrait, que saiu recentemente pela grava-
cujo discurso é perfeitamente sugerido, o que é uma de dora italiana Frame. Qualquer dúvida ou sugestão, me
suas características. escreva no e-mail perreal.azuma@alice.it.
= 76
= 51 Los Impossibles
Santiago de Múrcia
Adaptação para violão: Cristina Azuma
48
Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60
Produced with Yudu - www.yudu.com. Publish online for free with YUDU Freedom - www.yudufreedom.com.