This page contains a Flash digital edition of a book.
Testes
Para fazer a seção Na Estrada, a Violão PRO optou por publicar análises de músicos que vivem e trabalham diariamente com
Na Estrada
o instrumento aqui mostrado. Envie para nós a análise de seu violão. Se ela for publicada, você ganha uma assinatura
trimestral da Violão PRO. Os critérios para a publicação serão: qualidade das informações, clareza da análise e senso crítico.
Envie para ajuda@musicaemercado.com.br, aos cuidados de Editorial Violão PRO, mencionando Na Estrada.
ANTÔNIO DE PÁDUA CLÁSSICO
Sou professor da Faculdade de Música do Espírito Santo e da
Acordes Centro de Música e Artes, em Vitória. O instrumento
que possuo é um modelo clássico de 2003 feito pelo luthier An-
tônio de Pádua. A arte de um luthier sempre começa pela escolha
da matéria-prima e uma das grandes vantagens do Pádua é que
ele mora em Viçosa, cidade da Zona da Mata onde existe uma
fl oresta nativa de jacarandá mineiro que fornece madeiras para
seus violões. Meu violão possui tampo em abeto alemão e laterais,
fundo e escala em jacarandá mineiro e cordas Hannabach 728
(tensão alta). As tarraxas são Condor tipo luxo. A tocabilidade do
instrumento é muito boa em toda a extensão da escala (65 cm)
e ele apresenta baixos com ótima presença e agudos com bastan-
te projeção, embora ainda espere uma melhora com o tempo. Os
motivos pelos quais o adquiri são a sua efi ciente defi nição sono-
ra e sua boa variação timbrística para o repertório erudito, tanto
Marca: Antônio de Pádua (Viçosa - MG)
solo como em música de câmara. Alguns detalhes do acabamento
chamam a atenção, como a ‘mão’ laminada nas costas também em
Modelo: Clássico Nº. 303
jacarandá e frisos muito bem colocados, além da sua bela roseta. É Músico: Moacyr Teixeira Neto • Vila Velha/ES
um violão indicado a estudantes e profi ssionais que procuram uma
mteixeiraneto@yahoo.com.br
boa relação custo-benefício, já que ele possui um preço atrativo se
Informações: www.apgomide.com
comparado a instrumentos de luthiers similares.
ANDRÉLLIS FOLK-I CLÁSSICO
“Já pensou em procurar um luthier?”, disse com detalhe de jacarandá entre elas, escala
meu professor, Niederauer. Até então, eu em ébano, tampo em cedro canadense tipo
apenas enxergava a possibilidade de comprar AAA, lateral e fundo em mogno com frisos
um violão de série em alguma loja. A idéia em jacarandá e tarraxas coreanas blindadas
de adquirir um violão de luthier era algo e cromadas. O Jules mediu a distância dos
que, em princípio, causava-me certo receio. meus dedos para adequar os trastes, o que fa-
Conversei com o Jules André Raupp, luthier cilitou muito a tocabilidade Até por não ser
de Caxias do Sul que fabrica os instrumentos cutaway, o instrumento tem bastante volume
Andréllis. Ao conhecer seu trabalho, vi que e grande projeção. Sua sonoridade é perfeita,
não me arrependeria. O Jules fez um traba- aveludada, e minha opção é pelas cordas de
lho maravilhoso e exatamente como havia bronze, híbridas. Suas freqüências são bem
imaginado: um instrumento ligado às raízes. equilibradas, com graves fi rmes e encorpados,
Meu violão Folk-I Clássico possui acabamen- sem qualquer saturação, destacando bastan-
to em verniz PU fosco, braço em duas peças te os harmônicos. Tempos depois, coloquei
de mogno e uma de cedro (tipo sanduíche) uma captação Shadow SHP4 com o próprio
Jules, e a sonoridade
Marca: Andréllis (Caxias do Sul - RS)
permaneceu exce-
Modelo: Folk-I Clássico
lente, tanto plugado
quanto desplugado.
Músico: Alexander Canale • Caxias do Sul/RS
É um instrumento
alexandercanale@terra.com.br
único em todos os
Informações: www.andrellis.com
sentidos.
42
NA ESTRADA.indd 42 8/7/07 8:57:44 AM
Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68
Produced with Yudu - www.yudu.com