This page contains a Flash digital edition of a book.
Luthier
Pinho ou cedro?
Dúvida cruel!
Por Antonio Tessarin
Saber escolher a madeira do tampo é
fundamental para a sonoridade do violão
T
essarin
Cesar
T
odos sabemos da importância do tam- na da caixa gerada pelo tampo, diminuiu os
po no violão. É nele que a vibração harmônicos e um pouco do volume. Porém,
das cordas é transferida para o ar através da a qualidade de som produzida pelo tampo
madeira e assim conseguimos ouvir o som. em abeto alemão que utilizei nesse violão
A maioria dos luthiers concorda que ele experimental me agradou bastante.
representa a parte mais importante do ins-
trumento. Porém, o violão funciona como TAMPO EM PINHO
Antonio Tessarin é luthier há 21 anos.
um conjunto e nenhuma parte sozinha será Abeto alemão
Atualmente possui ateliê na cidade de Cerquilho,
interior de São Paulo. Entre os músicos que
a grande heroína. O abeto alemão, da família pinacea e do usam seus violões estão Paulo Bellinati, Camilo
Quando compramos a madeira para o gênero picea, tem diversas nomenclaturas
Carrara, Chico Pinheiro, Euclides Marques,
Gilson Antunes, Swami Jr., Ricardo Silveira e
tampo, apesar de todo o processo de seleção, pela sua variada extração em toda a Europa. Breno Chaves, entre outros.
nem sempre a escolhida será a melhor de to- De forma absoluta, é a madeira mais tradi-
das as últimas compras. Cada árvore cortada cional usada em violões e nos demais instru- instrumento, em que podemos observar que
fornece a madeira que tem e temos de estar mentos de corda. É uma grande conífera (dá o som fi ca fechado, e vai abrindo pelo menos
cientes disso. Mesmo assim, os novos violões cones em lugar de fl ores), sempre verde, que nos dois primeiros anos. Posto em compa-
fi carão melhores do que os anteriores, o que cresce entre 35 e 55 metros, com diâmetro ração, um violão mais velho não perde mais
mostra novamente que o conjunto para um novo.
do instrumento mais a evolução das O abeto alemão tem um tim-
técnicas de construção usadas tiveram
O violonista deverá experimentar instrumentos
bre bonito, claro, envolvente e mais
sua importância.
com as diversas madeiras e eleger a que mais
doce. Ele é muito consistente e tem
Basicamente temos dois tipos de
o agradou. Essa será a melhor para o seu
um som agradável nas notas agudas.
madeiras mais usadas para o tampo:
violão, gosto não se discute.
o pinho (abeto ou spruce, em inglês) Abeto engelmann
e o cedro (cedar, em inglês). O som Há também o abeto engelmann,
gerado pelos violões contém as característi- de até 1,5 metro. Tem uma grande dureza árvore da região oeste da América do Norte.
cas dos materiais empregados, desde a cor- que se percebe bem na etapa de regular sua Com altura entre 25 e 40 metros, tem diâ-
da passando pelo rastilho no cavalete, até as espessura na construção do violão. metro de até 1,5 metro. Sua copa tem for-
madeiras usadas na construção do fundo e, Como o tampo vibra menos que 2 milí- mato cônico e estreito. Ele é muito utilizado
obviamente, do tampo. Recentemente, fi z metros, essa dureza do abeto colabora bastan- em construções de casas e na produção de
a experiência de construir um violão com te, pois, sendo resistente, podemos dar a ele papel. Árvores de regiões mais altas, frias e
faixas e fundo de papelão, no qual se pode pouca espessura, ganhando em sonoridade, que crescem lentamente, muito comuns no
notar que a falta de consistência da parte tra- além de fi car mais leve. Mesmo assim, sua Canadá, são as selecionadas para tampos de
seira, que joga para a frente a vibração inter- dureza ainda se faz presente no término do violões e harpas. Sua madeira é parecida com
32
LUTHIER3.indd 32 8/7/07 10:02:48 AM
Page 1  |  Page 2  |  Page 3  |  Page 4  |  Page 5  |  Page 6  |  Page 7  |  Page 8  |  Page 9  |  Page 10  |  Page 11  |  Page 12  |  Page 13  |  Page 14  |  Page 15  |  Page 16  |  Page 17  |  Page 18  |  Page 19  |  Page 20  |  Page 21  |  Page 22  |  Page 23  |  Page 24  |  Page 25  |  Page 26  |  Page 27  |  Page 28  |  Page 29  |  Page 30  |  Page 31  |  Page 32  |  Page 33  |  Page 34  |  Page 35  |  Page 36  |  Page 37  |  Page 38  |  Page 39  |  Page 40  |  Page 41  |  Page 42  |  Page 43  |  Page 44  |  Page 45  |  Page 46  |  Page 47  |  Page 48  |  Page 49  |  Page 50  |  Page 51  |  Page 52  |  Page 53  |  Page 54  |  Page 55  |  Page 56  |  Page 57  |  Page 58  |  Page 59  |  Page 60  |  Page 61  |  Page 62  |  Page 63  |  Page 64  |  Page 65  |  Page 66  |  Page 67  |  Page 68
Produced with Yudu - www.yudu.com